Carta a um Almeidinha ressentido

Temos conceitos diferentes sobre tolerância, mas só um de nós está pedindo a eliminação do contraponto para seguir vivo. Não me meça com as suas regras, portanto. A minha é bem menos pragmática: está calcada numa velha mania de acreditar que as coisas podem dar certo quando se pensa um pouco além do próprio umbigo. Me desculpa se falo como um adolescente para uma criança. É só uma vacina contra a bolha hermética que falamos antes. Podemos ter soluções diferentes para o mundo. Mas o nosso mundo ainda é o mesmo.